O QUE É AFINAL A MOTIVAÇÃO?

Porque se fala tanto em M-o-t-i-v-a-ç-ã-o (e se usa tão pouco?)

“Estou desmotivado…”
“Sinto que me falta qualquer coisa…”
“Sei que é importante mas…não faço”
“Até gostaria…mas fico sempre a meio”
“Porque não consigo acabar o que começo?”
“Mãe socorro…!!”
 
Se alguma vez disseste alguma destas frases…calma, está tudo bem. Provavelmente falta-te….Motivação (claro), mas mais importante talvez te falte descobrir o verdadeiro significado deste conceito e de COMO o colocar em prática. Vamos Lá?!!

 

INTRODUÇÃO 

“Motivação” parece ser um bem tão precioso quanto misterioso. Por vezes damos por nós motivados e entusiasmados, numa espiral de energia, e outras parece que nem conseguimos sair do lugar, tal é o peso da procrastinação. Já te aconteceu? Vamos ver como se explica afinal este fenómeno.

 

O QUE É MOTIVAÇÃO?

Antes de mais vamos ao significado. A construção da palavra já nos dá uma boa pista: Motiv + ação = Motivo para Acção. Motivação pode ser considerado o impulso que leva um indivíduo a uma determinada acção. Por outras palavras, é o porquê (motivo) de um indivíduo agir e se movimentar rumo a um objetivo.

 

Porque é Importante?

Porque se trata de um poderoso processo interno que determina o interesse, a intensidade ou a persistência que tu colocas naquilo a que te propões alcançar. Este processo é tão importante que pode literalmente dar vida ou sabotar o sucesso de uma ideia. Torna-se então evidente que é importante focarmo-nos no motivo, pois já entendemos que é este que vai “alimentar” uma acção, tal como um combustível alimenta um carro. Quanto mais robusto o motivo, 
mais robusta a acção…Atenção que o inverso é igualmente 
verdade. 
 

Indo à Fonte

Por outro lado, é essencial compreendermos as razões pelas quais um indivíduo inicia e mantém (ou não) uma acção, pois só com esse entendimento, poderemos atuar na mudança e na melhoria. Nota: Só se melhora aquilo que se conhece, (ou como costumo brincar, tudo fica “claro” quando exposto à luz).

 

O que Afinal Origina a Motivação?

Os motivos-base da Motivação, podem ser traduzidos em “necessidades” que o Ser Humano tem, e que consciente ou conscientemente procura preencher. As mais óbvias são necessidades fisiológicas como água, ar, alimento, sexo, descanso, segurança ou abrigo. Pela sua natureza instintiva, estas não requerem propriamente uma “motivação extra”, ou seja, nós simplesmente as preenchemos.

Outras mais subjetivas, mas igualmente vitais, poderão incluir necessidades como afeto, pertença, autoestima, paz de espírito, estatuto, bem estar, ou claro…motivação para concretizar uma tarefa. Estas últimas, por estarem relacionadas com um resultado desejado no futuro, requerem uma dose de “esforço” para alcançar e manter. É este tipo de motivação que abordamos no desenvolvimento pessoal, e que vou abordar neste artigo.

 

3 DICAS PARA ATIVAR A MOTIVAÇÃO

Todas as teorias são comprovadas com a prática. Aqui ficam 5 passos para te ajudar na introdução a este poderoso conceito. Nota: sai da cabeça e entra em jogo, pois serás aquilo que fizeres.

 

Dica 1 – Motivo Forte 

O início deste artigo já foi baseado neste tópico. Se te lembrares de uma só dica, que seja esta: Quanto mais forte for o teu motivo, mais forte será a tua acção. Efeito trampolim. A falta deste elemento é dos primeiros obstáculos ao sucesso de um objetivo. Nos meus cursos costumo perguntar: “porque realmente queres essa meta?” e é comum a pessoa não saber responder. Ou responder algo como: “então mas não é suposto?” ou ainda: “Eu quero…porque alguém me disse”. Com este grau de inspiração, é de esperar que haja desmotivação (des-motivação = acção desprovida de motivo, pelo menos entusiasmante para a pessoa). Nota: Se o motivo não for TEU, tão pouco será o respetivo sucesso. Teres consciência clara do que te move, do teu verdadeiro “porquê” é o maior impulsionador para qualquer acção. No Coaching é comum chamar-se “Valor pessoal por detrás da Meta”. Como gosto de brincar com as palavras, chamo-lhe de “Valor-Motor”, pois atribui-lhe mais Poder Pessoal. Um motivo com 200 cavalos de potência, só pode estar destinado ao sucesso 🙂 
Nota: Se uma tarefa é importante para ti, encontras uma solução. Se não é importante, encontras uma desculpa.

 
Dica 2 – Objetivo Eficaz 
Outro ponto fundamental é teres uma meta bem formulada. De nada te serve teres um bom motivo, se não lhe deres vida ou se não lhe deres direção. Seria como teres um carro topo de gama…sempre fechado na garagem. Definição de objetivos é das áreas mais importantes do desenvolvimento pessoal, pois são a consciência de que podemos dar uma nova direção à nossa vida. São uma introdução à Visão e ao mundo das possibilidades. É a noção clara de que algo não está bem, mas mesmo assim podemos co-criar uma solução alternativa. Assim nasceram grandes obras, descobertas e invenções. Grandes visionários ”viam” o que mais ninguém via, e mesmo assim tornaram-no realidade. São também uma forma de pegares num sonho impossível, e o sistematizares em pequenos passos possíveis, como os degraus de uma escada. Nos meus cursos ensino tudo sobre objetivos eficazes, mas aqui ficam algumas dicas práticas: Faz com que sejam formulados pela positiva (foca-te no que queres, evita o que não queres), que sejam específicos (o que é vago fica no esquecimento), que tenham uma data (sempre!) e que dependam de ti (não de uma pessoa ou circunstância externa).
Nota: o Jim Rohn dizia que “objetivos são pedaços do futuro, trazidos para o presente”

Dica 3 – Lembretes
Até agora falámos dos motivos que te fazem agir, e da direção que lhes podes dar. Mas o nosso cérebro é um órgão com memória seletiva, para não dizer preguiçosa, e como tal precisa de ser relembrado do que é importante, especialmente numa fase inicial. Assim, das melhores dicas de motivação que te posso dar, é simplesmente usares lembretes por todo o lado, a toda a hora. O que são lembretes? são estímulos que te façam lembrar do que te interessa, por exemplo, alusivos ao teu objetivo. Dicas podem simplesmente incluir notificações no teu smartphone, no relógio, no pulso, um post-it no espelho, calendário google, uma fotografia, uma música ou até um elástico no dedo. Na verdade não importa quais são, desde que cumpram a simples função de ativarem a tua atenção numa base regular. Na minha vida, tudo o que eu visualizei consistentemente, tornou-se realidade. O mais curioso é que a maioria das vezes foi inconsciente, imagina sendo consciente. 
Nota: para onde vai o teu foco, vai a tua energia, e para onde vai a tua energia vai a tua vida e a tua felicidade.

 

Dica 4 – Prática e Repetição

Já me perguntaram qual a competência que considero mais importante. Naturalmente considero todas, mas se tivesse que escolher uma…seria a Consistência. Nada é tão poderoso como o Treino. Para o bom ou para o “mau”, tornamo-nos naquilo que fizermos repetidamente, por isso presta muita atenção aos teus hábitos. Quem não conhece casos de pessoas super talentosas, infelizes porque não praticam os seus talentos, e outras que apenas pela perseverança conseguem tudo o que querem? A dica mais prática que te posso dar, é encontrares pequenas acções (rituais) diretamente relacionadas com a tua meta, e que possas repetir todos os dias (saliento a palavra repetir). Tal como a aranha faz a sua teia, o simples facto de acionares uma tarefa múltiplas vezes, estás a consolidar redes neuronais no teu cérebro, que o tornam mais forte, atento e familiarizado com o teu objetivo – este fenómeno irá abrir-te portas que nem imaginas, pois começarás a “ver” e respirar o teu objetivo em todo o lado. Por outro lado, um ritual simples gera automatismo, o que significa que retira a necessidade de novas decisões, poupando muita energia mental.

Nota: Não somos o que sabemos, mas sim o que fazemos R-e-p-e-t-i-d-a-m-e-n-t-e.

 

Dica 5 – Celebração

Por fim, das maiores sabotagens do ser humano, é não valorizar devidamente as suas conquistas. Somos especialistas em recordar as falhas, mas não as superações. Se recebemos um elogio, é comum dizermos que “não foi nada de especial” , varrendo-o rapidamente para debaixo do tapete. Mas já fazemos questão de contar a toda a gente de quando falhámos aquela entrevista de trabalho ou aquela intervenção numa reunião. Há aqui algumas crenças limitadoras, muitas vezes baseadas em baixa autoestima, que nos impedem de assumirmos abertamente as nossas vitórias. Mas a celebração é dos actos mais poderosos do desenvolvimento pessoal, pois está ancorar um novo estado emocional – em ti e no Universo. Estarás a valorizar o teu esforço, abrindo caminho e confiança para a conquista seguinte, ao mesmo tempo que mostras aos outros que também é possível.

Nota: pequenas vitórias são as GRANDES vitórias

 

CONCLUSÃO:

Como vês, desenvolvimento pessoal remete a responsabilidade para TI, mas com mais responsabilidade, vem MUITO mais liberdade. Como bónus decidi despedir-me com dois dos mitos mais comuns, e também dos mais perigosos, que sabotam a nossa Motivação (para que lhes prestes especial atenção):

MITO #1 – Continuarmos à espera de algo EXTERNO que nos venha motivar. Um coach, um palestrante, um livro, um curso, um amigo. Qualquer um desses elementos é um excelente complemento, mas não substitui a tua auto-motivação, pois na verdade é a única que existe. Olha para a Natureza e verás que tudo o que é natural nasce e cresce de dentro para fora.

MITO #2 – Achar que a Motivação vem antes da acção. Na maioria das vezes, a motivação constrói-se em cima da Acção, e não o oposto. Esperar pela motivação, sob o pretexto de “não estarmos preparados”, é a maior mentira de todas. Vou-te propôr uma mudança de paradigma: nunca esperes pela motivação para entrar em acção ok? Entra em acção, e estarás a gerar TODA a motivação que precisas. Atividade física é um excelente exemplo: alguma vez te sentiste desmotivado depois dançar? Calculo que não, (jáantes acredito que sim 🙂

Espero ter-te ajudado com algumas luzes sobre este poderoso conceito. Despeço-me com a minha frase preferida do Richard Branson: “Um dos segredos do sucesso, é começar ANTES de estares preparado”.

Um abraço,

***Hugo

PS: Gostaria mesmo de saber de ti: Onde podes melhorar a tua motivação?
Deixa em baixo o teu comentário 
arrow

Não percas nenhuma novidade!

Deixa o teu e-mail abaixo para receberes os próximos artigos